Evento: Lançamento do Livro "Mistérios Inacabados"

Olá Pessoal.
Bom viram que essa semana eu estou bem animado, e o motivo de eu estar vindo aqui tarde da noite deste sábado é para contar pra vocês sobre essa moça de 18 anos e de origem capixaba, que conquistou muitos corações com seus contos, está lançando seu primeiro livro "Mistérios Inacabados".


Já parou para imaginar quantas coisas inexploradas que ainda nem experimentamos? Quantas coisas que ainda não sabemos como funcionam? Por exemplo, imagine se sua boca e seu nariz tivessem vida própria e ditassem ordens a você, sem que você tivesse consciência disso? Quem estaria dizendo a eles o que fazer? Ou se você tivesse um gato que te ajudasse a encontrar o caminho certo? Seria aquele gato somente um mero animal? Esses e outros são alguns dos mistérios inacabados de nossa vida. 
Palavras da Autora Deborah Andrade que descreve seu primeiro livro;


O livro é dividido em dois contos, um que foi escrito depois de um sonho um tanto estranho, e o segundo foi uma inspiração do livro que ela estava lendo, e que a mãe deu para que ela lesse, que é "O impostor que vive em mim" de Brennan Manning, juntou os dois e o resultado disso foi "Mistérios Inacabados" escrito aos 16 anos.


Sobre a autora
Deborah Andrade é natural de Vitória. A jovem estuda Cinema e Audiovisual na Universidade Federal do Espírito Santo. Aos 14 anos, começou escrever, textos curtos, mas sempre escondeu suas criações. Aos 16 anos, teve a inspiração para escrever o primeiro conto do que seria sua primeira obra. Meses depois, concluiu o segundo conto e decidiu unir os dois em um livro. Sua influência surge nas leituras de suspense e mistérios, principalmente nas obras de Agatha Christie e Sir Arthur Conan Doyle, além de C.S Lewis. Ela ainda toca bateria, adora cinema, arte, fotografar e estudar novos idiomas.


Essa foto, foi pra dar uma resumida na feirinha que ficará até o dia 27 de Abril na área central do Shopping Praia da costa, e era onde estava acontecendo o lançamento.

Agora confiram uma pequena entrevista que eu fiz com a autora do livro, espero que gostem:

Onde surgiu a ideia de escrever um livro?
Eu escrevia desde os 14 anos. E aí, com 16 comecei a escrever “A primeira porta" (o primeiro conto de “Mistérios Inacabados"). Ele foi baseado num sonho que tive. Sobre um garoto que sua boca e nariz tinham vida própria. O segundo conto “O majestoso Enigma do Morango" foi baseado na frase de um livro que eu lia, dado por minha mãe. O nome do livro é “O impostor que vive em mim" de Brennan Manning; a frase dizia o seguinte: " Iniciei uma palestra sobre o décimo primeiro passo do programa de Alcoólicos Anônimos contando a história de um homem em crise que encontra e come um morango". E aí, depois que eu escrevi os dois contos pensei: “porque não juntar os dois contos e fazer um livro?".

Quem te deu coragem e falou, corre atrás? Para que publicasse o livro?
Publiquei o livro por meio da Lei Chico Prego, a lei de incentivo á cultura do município da Serra. Então, era muita coisa para correr atrás, mas, Graças a Deus, toda a minha família se mobilizou. Cada um deu algo especial para que a publicação do livro fosse feita. Foi incrível! porque eu vejo como as famílias têm sido desatentas e individualistas, cada um por si e pronto e aqui comigo foi totalmente diferente. É maravilhoso perceber o resultado que uma família unida e altruísta tem sobre a vida de qualquer jovem. Digo assim porque sou prova disso!

Como está sendo a experiência de lançar o próprio livro?
Maravilhosa! Experiência única e muito especial! A sensação é de muita gratidão! Sinto-me vitoriosa e honrada.

Você tem alguma mensagem para passar para os leitores?
Tenho sim! Aproveitem bastante o livro e leiam mais de uma vez pq ele tem detalhes que podem passar por despercebidos ... hehe.... Também quero dizer para que cada um valorize sua família, do jeito que ela é; A personagem de " O majestoso Enigma do Morango" tinha somente um gato como família e, mesmo assim, não o descartou. 

E me diga, há algum spoiler de outros livros de sua autoria, como está, vai parar com esse ou tem muito mais pela frente?
Tem muito mais vindo aí! Esse é o primeiro de muitos, se Deus quiser :)

Você tem algum ritual para escrever, ou quando te da inspiração para escrever você escreve, podendo assim passar dias sem escrever?
Só escrevo quando vem inspiração e, sim, passo dias sem escrever! Mas quando escrevo, eu libero todo o fluxo do que vem. Não deixo nada passar. Ou, quando não escrevo na hora que a vontade vem, eu deixo na memória e aí vou lembrando tudo o que senti para escrever.

Como se sente quando escreve?
Na maioria das vezes escrevo por meio de minhas lembranças emotivas, então, isso depende do que estou escrevendo.  É meio sinestésico! Muito legal!

Bom pessoal, espero que tenham gostado.
E peço desculpa pela qualidade das fotos, mas é que precisei tirar com meu celular.
Um abraço a todos e até o próximo post.

1 comentários