O flerte que deu certo.


E depois que a noitada acaba? você come aquele podrão na porta da balada, e tenta se recompor enquanto o sol nasce. E ai é hora de pegar o ônibus ou o taxi e voltar para casa, joga as chaves em cima do sofá, mal tira a roupa e vai dormir, o melhor sono da vida, de balada realizada. O sono é interrompido com o toque da mensagem no celular que se encontra no bolso da calça ainda no corpo. Depois de falar todos os palavrões possíveis, você olha na barra de notificações e é um numero desconhecido, para o seu cérebro é claro porque a boca conhece bem o dono do numero. O sono até vai embora, com o começo da conversa, porém ele volta e te derruba deixando aquele gato esperando por horas, até você acordar e voltar a responder tentando achar desculpas para o sumiço. Mas ele entende, afinal foram quase 8 horas de balada, e a ressaca não te deixa nem mesmo abrir os olhos, quanto mais mandar mensagem. A conversa até rola, e o assunto parece não acabar mais. Os dias se passam, e o convite para um encontro acontece (lembrando, que o esbarrão na balada, não conta como encontro). Muitas coisas acontecem, um filme, talvez até mesmo uma tarde de muito sexo, o que estivermos afim de fazer, afinal somos livres para escolher o que faremos. Não tem padrão para primeiro encontro, uma das partes não tem que pagar a conta toda, Não tem que ter lenga lenga, ou rola ou não rola. Se houver desculpas demais, poca fora (como diz o capixaba) e arruma outro, afinal ser solteiro nos traz essa vantagem. Mas se der certo, leve o papo a diante, nada te impede e não é feio você sair algumas vezes com o crush da balada, a opinião alheia que vai dizer o quão estupido você é por sair com alguém que você conheceu numa balada não é importante. Acredite nos seus instinto e um pouquinho em seu conhecimento como pessoa. Também não é para se meter em enrascada. A unica regra do primeiro, segundo, terceiro encontro, é se divertir e dar boas risadas lembrando de coisas estranhas que acontecerem. 

0 comentários