Vitoria Moda: Estudio Etá, Florest e Saia de Chita;



São varias marcas juntas celebrando a coletividade. O desfile que comemorou a cultura brasileira com peças que marcam as diversas culturas que vivemos, e ainda alem da moda traz uma discussão de gênero, sexualidade e normatividade. Na coleção apresentada, o estúdio apresenta sua liberdade estética. Peças como camisas oversize em viscose e algodão e o clássico macacão Tuta, que foi ícone nos anos 20 são a contribuição da Sim Sr, marca de Flavio Ribeiro conhecida pela explosão de estamparia. A cartela de cores temos preto, branco, cru e tons terrosos se equilibram. 


A marca Florest trouxe destaque para a preservação do meio ambiente, alem de pensar na beleza das peças a marca trouxe uma ideia de que antes de pensarmos no consumo e na criação temos que pensar na sustentabilidade. Junto com as peças uma critica ao lixo humano jogado nas praias, que pode ser observada nas camisas com dizeres. A cartela de cor que vai dos tons terrosos lembrando a natureza ao azul que lembra ao mar, a identidade da marca é bem forte durante todo o desfile. 


 A marca que trouxe o sertão para a passarela do Vitoria Moda, com um trabalho manual com a exclusividade dos tecidos com suas cores fortes. Homenagem ao cangaço com o couro, e as cores nos tons terrosos, os tecidos fluidos que são preferencia para se dançar um forro, e claro que as peças frescas trazem um conforto maior para o verão que castiga.

Fotos: Wanderson Lopes

0 comentários